08 agosto 2011

Vinte e poucos...



Não sei de muita coisa...
Nem tanto tenho como saber ainda, creio eu... 22 anos é uma idade muito baixa para se concentrar uma quantidade de sabedoria que se valha contar.

não sei de muitas coisas...
mas o que eu sei é o suficiente para poder sentir que logo vou ter muito pelo que correr,
não é uma quantidade certa como uma matemática me daria...
nem uma certeza universal como a de que amanhã o sol nascerá de novo, e mais um dia eu acordarei de mal humor e com sono...

mas eu sei que muito tem por vir...

não sei quantas noites acordado vou ter que passar... nem quantas horas a mais eu vou ter que trabalhar...

quantos choros da minha pequena menina eu vou aguentar e consolar e acalmar e fazer dormir...

nem quantas angústias da minha grande menina eu vou ter que entender, aconselhar acalmar e fazer dormir...

na verdade eu quase nada sei...

eu sei bem que o que me espera pela frente é grande... inadiável... e tentadoramente desafiador.

espero ter negligência para não deixar que meus defeitos tolos atrapalhem tanto esse caminho... assim como espero poder tropeçar enquanto sigo...

22 Anos não me dão o "direito" de falar assim... mas... já pude experimentar e vivenciar que os tropeços não são um todo de coisas ruins... na grande maioria dos tropeços que dei o ato de me re-erguer foi exatamente o que eu precisava para poder me tornar melhor...

não sou a pessoa que melhor expressa seus sentimentos... sua gratidão... sua preocupação...
na verdade minha maior facilidade sempre se concentrou em expressar a raiva... o desgosto e o desprezo...

Poxa eu tenho 22 anos... não sei de muita coisa...

mas tenho a sensação de que tudo que me espera me ensinará a explorar um lado muito diferente, escondido entre meu diafragma e a boca do estômago.

espero poder tropeçar e poder contar com a ajuda dos meus corações para podermos nos re-erguer novamente...

As mudanças existem por um único motivo... algo precisava ser alterado... seja essa mudança proposital ou não... seguir em frente é o único jeito para que quando chegar lá na frente, você possa dizer que realmente mudou... mas nunca deixou de ser você.

mas não precisa dar atenção a nada do que eu venha a dizer...

Não sei de muita coisa...

Só sei que amanhã quando o sol nascer e eu estiver de pé sentindo a cidade bater no meu rosto... eu vou pensar:

"O que será que eu vou aprender hoje?!".


Para a minha pequena.

Valentina.

3 comentários:

jéssica disse...

Ficooou lindo meu amô!
e sei que quando ela crescer e ler isso, ela vai achar a mesma coisa...E Eu te amo <3

Douglas disse...

Puta q pariu Heitor!!! Chorei, k ralho....

BruninhOoO disse...

nossa ta mto foda parabens O: